gallery/560d3a71-6dd3-40a5-b93c-ca83d7d6466a
gallery/selo-final-logo-1

CERTIFICADO CLEAN & SAFE

 

A empresa Azevedo&Maciel LDA , NIF: 514043407, entidade gestora do  AL / 38684_ Quinta da Lavandeiras - Sweet Holmes

possui a certificação de animação turística  CLEAN & SAFE atribuído pelo Turismo de Portugal.


Com o objetivo de retomar a atividade do setor em segurança, o Turismo de Portugal criou este selo para distinguir as atividades turísticas que asseguram o cumprimento de requisitos de higiene e limpeza para prevenção e controlo do novo coronavírus COVID-19.

 

PROTOCOLO DE HIGIENE E SEGURANÇA

Com o objectivo de evitar a proliferação do vírus e a contaminação dos espaços com o SARS-CoV-2 / COVID-19 (novo coronavírus), a  entidade Azevedo&Maciel criou um protocolo de segurança e higiene de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde e da Direção-Geral da Saúde. Todos os nossos colaboradores obtiveram formação e comprometem-se a seguir as nossas normas internas, visando a segurança do cliente.

 

CHECK-IN E CHECK-OUT
Self check-in e check-out com chave na porta;

Pagamento online ou transferência bancária no ato da reserva;

 

CONTACTO COM O CLIENTE
Para qualquer questão, os clientes poderão contactar a recepção por telefone (rede vodafone) e Whatsapp;

 

 

ESPAÇOS COMUNS

As espreguiçadeiras da piscina serão colocadas em grupos duas a duas, cada grupo de duas espreguiçadeiras serão colocadas a uma distancia de segurança de 1,5 m.

 

A lotação da piscina será limitado a 6 pessoas .     

 

 

REFEIÇÕES

O Buffet de pequeno-almoço será substituído por um tabuleiro onde irão ser disponibilizados os seguintes alimentos:

Pão, manteiga e queijo fatiado e fiambre
- 0,5l de sumo de laranja
- Fruta
- Leite de vaca (em pacote)
- Chaleira com café
- Fruta

 

 

DECLARAÇÃO DE COMPROMISSO

Tendo em vista a obtenção do selo “Clean & Safe”, a Azevedo & Maciel LDA,  compromete-se a cumprir integralmente o conjunto de disposições e requisitos de conduta social, higiene e limpeza presentes na “Declaração de Compromisso” criada pelo Turismo de Portugal.

 

 

Formação a todos os colaboradores

TODOS OS COLABORADORES RECEBERAM  FORMAÇÃO E/OU FORMAÇÃO ESPECÍFICA SOBRE:

→ Protocolo interno relativo ao surto de coronavírus COVID-19.

→ Como cumprir as precauções básicas de prevenção e controlo de infeção relativamente ao surto de coronavírus COVID-19, incluindo os procedimentos:

Higienização das mãos: lavar as mãos frequentemente com água e sabão, durante pelo menos 20 segundos ou usar desinfetante para as mãos que tenha pelo menos 70% de álcool, cobrindo todas as superfícies das mãos e esfregando-as até ficarem secas.

 

Etiqueta Respiratória: tossir ou espirrar para o antebraço fletido ou usar lenço de papel, que depois deve ser imediatamente deitado ao lixo; Higienizar as mãos sempre após tossir ou espirrar e depois de se assoar; Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos.

 

Conduta Social: alterar a frequência e a forma de contacto entre os trabalhadores e entre estes e os clientes, evitando (quando possível) o contacto próximo, apertos de mão, beijos, postos de trabalho partilhados, reuniões presenciais e partilha de comida, utensílios, copos e toalhas.

 

→ Como cumprir a auto monitorização diária para avaliação da febre (medir a temperatura corporal e registar o valor e a hora de medição), verificação de tosse ou dificuldade em respirar. 

 

→ Como cumprir as orientações da Direção Geral de Saúde para limpeza de superfícies e tratamento de roupa nos estabelecimentos. 

 

Informação a todos os Clientes 

 

ESTÁ DISPONIBILIZADA A TODOS OS CLIENTES A SEGUINTE INFORMAÇÃO:

→ Como cumprir as precauções básicas de prevenção e controlo de infeção relativamente ao surto de coronavírus COVID-19.

→ Qual o protocolo interno relativo ao surto de coronavírus COVID-19. 

 

A operação assegura:

 

→ Que existe sempre ao serviço um colaborador responsável por acionar os procedimentos em caso de suspeita de infeção (acompanhar a pessoa com sintomas ao espaço de isolamento, prestar-lhe a assistência necessária e contactar o serviço nacional de saúde). 

→ A descontaminação da área de isolamento sempre que haja casos positivos de infeção e reforço da limpeza e desinfeção sempre que haja doentes suspeitos de infeção, principalmente nas superfícies frequentemente manuseadas e mais utilizadas pelo mesmo, conforme indicações da DGS.

→ O armazenamento dos resíduos produzidos pelos doentes suspeitos de infeção em saco de plástico que, após fechado (ex. com abraçadeira) deve ser segregado e enviado para operador licenciado para a gestão de resíduos hospitalares com risco biológico.

 

O estabelecimento assegura:

→ Lavagem e desinfeção, de acordo com o protocolo interno, das superfícies onde colaboradores e clientes circulam. garantindo o controlo e a prevenção de Infeções e resistências aos antimicrobianos. 

→ Limpeza, várias vezes ao dia, das superfícies e objetos de utilização comum (incluindo balcões, interruptores de luz e de elevadores, maçanetas, puxadores de armários). 

→ Ser dada preferência à limpeza húmida, em detrimento da limpeza a seco e do uso de aspirador de pó. 

→ A renovação de ar das salas e espaços fechados é feita regularmente. 

→ Nas zonas de restauração e bebidas, o reforço da higienização dos utensílios, equipamentos e superfícies e evitada ao máximo a manipulação direta dos alimentos por clientes e colaboradores. 

 

 

O estabelecimento possui:

→ Equipamentos de proteção individual em número suficiente para todos os trabalhadores. 

→ Equipamento de proteção individual disponível para clientes (capacidade máxima do estabelecimento). 

→ Stock de materiais de limpeza de uso único proporcional às suas dimensões, incluindo toalhetes de limpeza de uso único humedecidos em desinfetante, lixívia e álcool a 70o. 

→ Dispensadores de solução antissética de base alcoólica ou solução à base de álcool junto aos pontos de entrada/saída, e sempre que aplicável por piso, à entrada do restaurante, bar e instalações sanitárias comuns. 

→ Contentor de resíduos com abertura não manual e saco plástico. 

→ Local para isolar pessoas que possam ser detetadas como casos suspeitos ou casos confirmados de COVID-19, que deve ter preferencialmente ventilação natural, ou sistema de ventilação mecânica, e possuir revestimentos lisos e laváveis, casa de banho, stock de materiais de limpeza, máscaras cirúrgicas e luvas descartáveis, termómetro, contentor de resíduos autónomo, sacos de resíduos, sacos de recolha de roupa usada, Kit com água e alguns alimentos não perecíveis. 

→ Nas instalações sanitárias equipamento para lavagem de mãos com sabão líquido e toalhetes de papel. 

 

O protocolo de limpeza e higienização garante:

→ A definição de cuidados específicos para troca da roupa de cama e limpeza nos quartos, privilegiando dois tempos de intervenção espaçados e com proteção adequada conforme Protocolo interno. 

→ A remoção da roupa de cama e atoalhados feita sem a agitar ou sacudir, enrolando-a no sentido de fora para dentro, sem encostar ao corpo e transportando-a diretamente para a máquina de lavar. 

→ A lavagem em separado à máquina e a temperaturas elevadas da farda dos colaboradores e da roupa de cama/atoalhados (cerca de 60ºC).

 

 

 

 

 

©2020quintadaslavandeiras.pt

©2020quintadaslavandeiras.pt